Cervejas trapistas e sua origem

Abadia da Orval

Mesmo quem as conhece pode pensar que trata-se de um estilo de cervejas, porém as cervejas trapistas são aquelas feitas pelos monges trapistas (como os da Abadia Orval, da foto em destaque acima) e pertencem a mais de um estilo.

Mas por quê o nome trapista?

A história começa no século XI, quando foi fundada a primeira Abadia da Ordem Cisterciense em 1098 na Borgonha. Ela surgiu como um ramificação dos beneditinos e coube a São Bernardo (1090-1153) seu desenvolvimento pelo continente europeu.

Rotulo antigo da holandesa La Trappe

Trapista vem de Notre Dame de La Trappe, abadia erguida em 1140 na Normandia, que tornou-se cisterciense em 1147. La Trappe era o nome da propriedade do Conde Rotrou III, cuja filha morrera em um naufrágio em 1120. Em sua homenagem, ele fez no local um oratório e depois construiu a abadia.

A “Reforma” Trapista e expansão

Em 1662,o clérigo Armand-Jean de Rancé (1626-1700) instituiu na abadia uma releitura (mais rígida) das regras religiosas. Dessa “reforma” originou-se a chamada Ordem Cisterciense da Estrita Observância (ou Ordem Trapista).

A doutrina trapista se propagou pela Europa devido à perseguição  aos religiosos durante a Revolução Francesa. Os monges em fuga difundiram sua crença em diversos outros países, garantindo a continuidade da Ordem.

Ora et labora

São Bento: os trapistas o seguem

Os trapistas seguem rigorosamente as regras estabelecidas por São Bento no século VI, que enfatizam a oração e o trabalho manual. Por isso os monges produzem e comercializam diferentes produtos, como cervejas e queijos.

A fabricação de bebidas alcoólicas pelos religiosos vem desde a Idade Média. Assim, uma cerveja de abadia pode não ser trapista. As trapistas destacaram-se mais por sua qualidade, complexidade, “mística” e incrível sabor!

O selo de Produto Trapista Autêntico

O nome trapista é uma denominação de origem, o que significa que todos os itens feitos pelos 160 monastérios trapistas no mundo são ditos trapistas. Entre esses produtos estão as cervejas, queijos, chocolates, biscoitos, pães, licores e muitos outros, inclusive não alimentícios. 

Já o selo AUTHENTIC TRAPPIST PRODUCT  é um certificado que só pode ser dado aos produtos dos monastérios membros da Associação Internacional Trapista e precisam atender a determinadas regras na produção e comercialização. O logo ATP garante que:

  • Os produtos são fabricados no próprio monastério ou nas proximidades;
  • A comunidade monástica está envolvida com a gestão e com os meios de produção. E toda a produção está claramente subordinada ao monastério beneficiário e segue uma cultura empresarial que reflete o modo de vida monástico.
  • Os lucros são destinados em sua maior parte ao atendimento das necessidades da comunidade(monástica) e a obras sociais*

Quais são as cervejas trapistas?

Trappist Beer 2015-08-15.jpg
As onze cervejas trapistas com logo ATP

Atualmente apenas 11 monastérios têm o selo da ATP em suas cervejas trapistas. Para saber quais são, clique aqui.
Na próxima semana tem mais sobre as cervejas trapistas:os estilos, curiosidades, fatos e mitos. E lembre-se: cerveja é cultura!

To beer continued…

Comunidade aqui parece significar a comunidade monastica. Recomendo a leitura das regras no próprio site 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *