Conhecendo o café (parte 2)

Na primeira parte do “Conhecendo o café..” falamos um pouco sobre as diversas bebidas à base de café. Agora trataremos da bebida em sua forma mais pura, para a alegria dos tradicionalistas e daqueles que gostam de apreciar melhor as nuances do grão, torra e terroir.

Você curte o seu café puro, mas…de que jeito?

Para aqueles que gostam de saborear o café sem adição de nenhum outro ingrediente(talvez só um pouquinho de açúcar), a escolha também não é tão simples. Veja algumas variações do “cafezinho” que você encontra nas casas do ramo:

Expresso: 25 a 35ml de café
Expresso Ristretto

Expresso(original): tem entre 25 e 35ml numa xícara geralmente de 50ml. Como o contato com a água é rápido e o preparo é feito sob alta pressão na máquina própria do espresso, resulta num café mais encorpado, aromático e ácido que o café coado, por exemplo.
Expresso Brasileiro: o “nosso padrão” é abundante, pois tem entre 40 e 50ml, o que não é comum em outros países. O resultado é um café de menos corpo que o expresso.
Curto: é o mesmo que o expresso original com 25 a 35ml. Aqui vale a observação: o que chamamos de “curto” é costumeiramente o padrão internacional do expresso.
Ristretto: é o expresso com o menor volume, tendo entre 15 a 20ml na xícara. É o que poderíamos chamar de “curtíssimo”. Muito encorpado, oleoso e (surpreendentemente) mais doce que os demais.
Longo (ou lungo): tem 50ml e também é feito na máquina de expresso como os anteriores, mas por ser tirado com uma quantidade maior de água acaba sendo o mais fraco dos mencionados até agora.

Café coado

Carioca: tem de 25 a 35ml como o expresso original, mas é diluído em 20ml de água quente. Alguns o chamam também de Americano, porém neste caso o volume total da bebida costuma ser maior(e servida em xícaras maiores).
Doppio ou Duplo: são dois expressos servidos numa só xícara. Simples assim.
Café coado: é o café passado no filtro de papel ou tecido. Ele é mais suave, já que esse preparo deixa a água bastante tempo em contato com o pó. É menos cremoso por não ser tirado sob alta pressão.

Além da bebida já “pronta”

Claro que antes de chegar na sua xícara ou taça o café passou por todo um longo processo, que começou na escolha do tipo a ser plantado e passou pelo cultivo, colheita, torrefação, blendagem, etc. Por isso vamos continuar falando dele e de suas singularidades em posts futuros. Bom café e até lá!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *